domingo, 16 de março de 2008

A cura de Schopenhauer



Trata-se de uma excelente leitura e introdução as ideias consideradas pessimistas de Schopenhauer.A narrativa assemelha-se a O mundo de Sofia,escrito por Jostein Garden e que tem pra mim o mesmo objetivo : um olhar sobre o pensamento filosofico.
A morte invade a vida a todo o instante. A perda de um parente próximo, uma doença grave, ou mesmo uma notícia ou foto de alguma tragédia no jornal pode nos fazer confrontar com a inevitabilidade do fim. Em A Cura de Schopenhauer, o diagnóstico de um câncer maligno força o renomado psiquiatra Julius Hertzfeld a fazer um balanço de sua vida e de seu trabalho. A depressão e a tristeza dão lugar à vontade de rever pacientes antigos e à pergunta: será que seu trabalho fez alguma diferença na vida daquelas pessoas? Julius resolve procurar Philip Slate, um viciado em sexo e seu fracasso mais retumbante na longa carreira de terapeuta. Ao encontrá-lo, Hertzfeld descobre que Philip curou a si próprio seguindo a filosofia pessimista de Arthur Schopenhauer. E, mais surpreendente ainda, tornou -se um orientador filosófico. Para obter a licença que o habilitaria a atender pacientes, ele propõe a Julius que o supervisione e, em troca, o ensinará o pensamento filosófico de Schopenhauer- segundo ele, a cura para as angústias de Julius em relação à morte iminente. Mas como uma pessoa tão auto-suficiente e com um profundo desprezo pelas pessoas pode se tornar um terapeuta? Julius decide aceitar a proposta, mas exige que Philip participe das sessões de terapia em grupo. A partir daí, o leitor vai acompanhar um embate emocionante entre pacientes e terapeuta, em que cada um expõe seus medos, defesas e fraquezas e aprende a ser mais humano e feliz.





Alguns trechos do livro:



"Devemos encarar com tolerância toda loucura, fracasso e vício dos outros, sabendo que encaramos apenas nossa própria loucura, fracasso e vício. Pois eles são os fracassos da humanidade à qual também pertencemos e assim temos os mesmos fracassos em nós. Não devemos nos indignar com os outros por esses vícios apenas por não aparecerem em nós naquele momento."



"Existe alguém feliz? É possível ser feliz algum dia? Schopenhauer acredita que não.Em primeiro lugar, o homem nunca é feliz, porém passa a vida lutando por algo, pensando que vai fazê-lo feliz, não consegue, e, quando consegue, se desaponta: é um náufrago e chega ao porto sem mastros nem cordâmes. Portanto, não se trata de ser feliz ou infeliz, pois a vida não é senão o momento presente, que está sempre sumindo e, finalmente, se acaba."



"Por que o tédio é ruim? Por que lutamos para afastá-lo? Porque é um estado do qual não conseguimos nos livrar e que vem logo mostrar verdades subjacentes e desagradáveis sobre a vida: a nossa insignificância, a falta de sentido da vida, nossa inexorável caminhada rumo à velhice e à morte.Portanto, o que é a vida senão um ciclo infinito de querer, satisfazer, entediar-se e depois querer de novo? Essa sequencia vale para todas as formas de vida? É pior para os humanos, diz Schopenhauer, pois à medida que a inteligência aumenta, cresce também a intensidade do sofrimento."





3 comentários:

Crisfonseca disse...

Adorei seu blog, parabéns, muito bom mesmo, estou amando a leitura desse livro, A cura de Schopenhauer
Esse universo de ser humano,pode ser louco, adoravelmente louco
bjs
Cris
meu blog é http://cristianafonseca.blogspot.com/

Antonella disse...

Também estou lendo, muito bacana o livro e o seu blog. Os budistas falam do mergulho do observador interno no próprio tédio como um passo essencial ao autoconhecimento. Algo pirante, mas sem dúvida, um entre muitos caminhos. Meu nome é Antonella Zara, no Facebook sou Antonella Yllana e meu site é www.antonellazara.com

Antonella disse...

Também estou lendo, muito bacana o livro e o seu blog. Os budistas falam do mergulho do observador interno no próprio tédio como um passo essencial ao autoconhecimento. Algo pirante, mas sem dúvida, um entre muitos caminhos. Meu nome é Antonella Zara, no Facebook sou Antonella Yllana e meu site é www.antonellazara.com