terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Brasil, esconda sua cara...

O Brasil vive um problema seríssimo de violência. Até ai nenhuma novidade. Está nos programas sensacionalistas de tv como Cidade Alerta e Brasil Urgente. Os apresentadores estão ali como titeres, papagaiando sofismas, como bons funcionários lustrando com a língua a sola da bota dos patrões, temerários de tomar um pé no cu. Sabemos que essa violência em grande parte é gerada pelo trafico e a guerras às drogas, pela desigualdade social, pela ode ao consumismo, etc. E ainda assim, já tamanha as desgraças diárias que enfrentamos (uns muitos em situação de infortúnio pior do que a nossa) as pessoas querem fazer uma guerra da secessão (guerra civil)!!!! Com tanta coisa pra se exigir do governo, tantas melhorias a serem pensadas e a serem feitas. Ideias a serem discutidas. E vcs ai, odiando rancorosamente. Não bastasse esse sentimento pútrido, ainda querem argumentar, reforçar o preconceito e corroborar suas posições como se fossem seres iluminados de um discernimento etéreo. Vcs oligofrênicos, pressurosos em seus diagnósticos, tão preguiçosos na leitura do mundo, deveriam estudar sobre a guerra civil na Síria, Servia, Kosovo, entre outras. Vejamos alguns dados sobre o Brasil : "Calculando a média anual de homicídios do país em 30 anos, Julio Jacobo Waisefisz, pesquisador do Sangari, chegou ao número de 36,3 mil mortos no ano - o que, em números absolutos, é superior à média anual de conflitos como o da Chechênia (25 mil), entre 1994 e 1996, e da guerra civil de Angola (1975-2002), com 20,3 mil mortos ao ano." "O Brasil registrou em 2012 a maior quantidade de assassinatos, tanto em termos absolutos como relativos, desde 1980: Nada menos do que 56.337 pessoas foram mortas naquele ano, num acréscimo de 7,9% frente a 2011. A taxa de homicídios, que leva em conta o crescimento da população, também aumentou 7%, totalizando 29 vítimas fatais para cada 100 mil habitantes. É o que revela a mais nova versão do Mapa da Violência, que será lançada nas próximas semanas com dados que vão até 2012. O levantamento é baseado no Sistema de Informações de Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, que tem como fonte os atestados de óbito emitidos em todo o país. O autor do mapa, o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, diz que o sistema do Ministério da Saúde foi criado em 1979 e que produz dados confiáveis desde 1980. As estatísticas referentes a homicídios em 2012, portanto, são recordes dentro da série histórica do SIM. — Nossas taxas são 50 a 100 vezes maiores do que a de países como o Japão. Isso marca o quanto ainda temos que percorrer para chegar a uma taxa minimamente civilizada — destaca o sociólogo." Ainda falta muito pra que sejamos MINIMAMENTE CIVILIZADOS. Amigos,eu disse minimamente. Pra ser no mínimo,no MÍNIMOOOOOOOOO decente já nos falta muito...e vcs ai vociferando ódio aos nordestinos. Eu,sinceramente na pele de vcs teria vergonha de mim mesmo. Pq vergonha alheia,essa eu já tenho.