terça-feira, 24 de agosto de 2010


‘‘Quem mente para si mesmo e dá ouvidos à própria mentira chega a um ponto em que não distingue nenhuma verdade nem em si nem nos outros e, portanto, passa a desrespeitar a si mesmo e aos demais. Sem respeitar ninguém, deixa de amar e, sem ter amor para se ocupar e se distrair, entrega-se a paixões e a prazeres grosseiros e acaba na total bestialidade em seus vícios, e tudo isso movido pela contínua mentira para os outros e para si mesmo.’’



Fiódor Dostoiévski em 'Os Irmãos Karamázov'.

Um comentário:

ana souza disse...

DAR CRÉDITO A 'MINHA MENTIRA' ME FORÇOU A PENSAR. ANTES EU PENSAVA SER UM BOM MENTIROSO, O QUE PROVEI QUANDO PASSEI A VIVER DENTRO DELA. O CURIOSO É QUE, EMBORA FASTIDIOSO, VISTO QUE OS PRAZERES DA MENTIRA NECESSITAM DE DOSES CADA VEZ MAIS ALTAS DE ENGANO, VIVER ASSIM ME LIVROU DE ALGO MUITO PIOR, TAL MENTIRA ME LIVROU DE UM VÍCIO QUE PASSA DESAPERCEBIDO POR TODOS DO MEU LIMITADO CÍRCULO SOCIAL, ENFIM, A MENTIRA ME LIVROU DO MODO DE VIDA AUTOMÁTICO, INSTANTÂNEO E EXTREMAMENTE CONSUMISTA, DOS QUAIS OS QUE DIZEM A 'VERDADE A SI' SE LIMITAM.
VOU LER ESSE LIVRO, PRA, QUEM SABE, EU DEIXE DE MENTIR OU APERFEIÇOE A MENTIRA.
A VERDADE É QUE DE CERTO MODO ME ENQUADRO NESSE TRECHO, E QUANTO MAIS ME ESFORÇO PRA ENCONTRAR ALGUMA VERDADE, EM MIM, NO MUNDO E NAS PESSOAS QUE SE AUTO-INTITULAM VERDADEIRAS, MAIS VEJO MENTIRAS EM TUDO O QUE AUMENTA MINHAS PAIXÕES EGOÍSTAS.
BLOG LEGAL, VOU SEGUIR. ABRAÇOS!
PS: NÃO SOU UM ROBÔ KKKKKKK